- Basílica da Penha – 21/11/2010 -

Encontro dos ministros e bispo4

Meus irmãos e minhas irmãs:

Na festa de Cristo Rei e no dia dedicado aos leigos e leigas é com alegria que realizamos o primeiro encontro de ministros e ministras não ordenados da Diocese de São Miguel Paulista, para celebrarmos a presença de Deus em nossas vidas, presença que nos alimenta na caminhada em busca da construção do Reino. Deus nos alimenta e nos fortalece na missão de ministros não ordenados de maneira especial pela Palavra e pela Eucaristia.

A Palavra há pouco anunciada lembra-nos que em Cristo formamos um só corpo e somos animados pelo seu Espírito que é a fonte e o doador de todos os dons. O Apóstolo Paulo, escrevendo à comunidade de Corinto, afirma que há diversidade de ministérios, mas o Senhor é o mesmo. Há diferentes atividades, mas é o mesmo Deus que realiza tudo em todos.

O apóstolo  continua afirmando  que a cada um é dada a manifestação do Espírito, em vista do bem de todos. Com efeito, o dom e o ministério que recebemos  por graça de Deus e benevolência da Igreja, não é para ser exercido em proveito próprio, mas, para ser colocado a serviço dos irmãos e da comunidade.

O evangelho proclamado nessa liturgia da palavra nos apresenta Jesus, na última ceia, lavando os pés dos apóstolos. Ao final Jesus afirma “Eu vos dei o exemplo, para que façais assim como eu fiz para vós”. É nesse espírito de serviço, meus caros ministros e ministras não ordenados, que devemos exercer nosso ministério na Igreja. Sejamos, pois,  zelosos em nos alimentarmos  da Palavra de Deus para bem vivermos nosso ministério.

A Eucaristia é parte integrante da espiritualidade dos ministros não ordenados. “A Igreja vive da Eucaristia. Esta verdade não exprime apenas uma experiência diária de fé,  mas contém, em síntese, o próprio núcleo do mistério da Igreja. É com alegria que ela experimenta de diversas maneiras, a realização incessante desta promessa: Eu estarei sempre convosco até o fim do mundo”. Assim, o saudoso Papa João Paulo II, começou a sua Carta Encíclica Ecclesia de Eucharistia onde apresenta a Eucaristia em sua relação com a Igreja.

De fato é na Eucaristia que a Igreja como instituição e cada um dos fiéis encontra “a razão da sua existência, a fonte inesgotável da sua santidade, a força da unidade e o vínculo da comunhão, o vigor da sua vitalidade evangélica, o princípio da sua ação evangelizadora, a fonte da caridade e o impulso da promoção humana, a antecipação da sua glória no banquete eterno das Núpcias do Cordeiro”.

Meus irmãos e minhas irmãs, alimentados pela Palavra e pela Eucaristia, deixemos que ressoe em nossos corações o convite e o mandato de Jesus: “Ide e fazei com que todos os povos se tornem meus discípulos...” Vamos assumir com entusiasmo e ardor missionário as prioridades de nosso 5º Plano Diocesano de Pastoral: Família, Missão e Formação.

No último dia 24 de outubro, Dia Mundial das Missões, o Papa Bento XVI anunciou um Sínodo para a Nova Evangelização, em 2012. O Santo Padre quer envolver todos os bispos do mundo para preparar esse encontro e despertar todos os cristãos para a necessidade de evangelizar com novo ardor missionário.

Para atender a esse apelo do Papa, não nos esqueçamos que a missão exige  o compromisso com a pastoral de conjunto, cujo princípio é a espiritualidade de comunhão e participação. Nenhum ministério, nenhuma pastoral evangeliza sozinha, todas precisam de uma decisão missionária, que deve animar toda ação pastoral de nossa Igreja Diocesana em seu conjunto, como nos lembra o nosso Plano de Pastoral.  

Estamos na casa de nossa mãe, a Senhora da Penha. No próximo ano a sua imagem se tornará peregrina nas três Regiões Episcopais de nossa Diocese.  Daqui, do seu Santuário Basílica, ela vela por seus filhos e filhas e acompanha com amor de mãe todos os nossos esforços para  anunciar Jesus Cristo de casa em casa.

O Papa João Paulo II nos recomendava: “Ponhamo-nos sobretudo à escuta de Maria Santíssima, porque nela, como em mais ninguém, o mistério eucarístico aparece como o mistério da luz. Olhando-a, conhecemos a força transformadora que possui a Eucaristia. Nela, vemos o mundo renovado no amor. Contemplando-a elevada ao céu em corpo e alma, vemos um pedaço do novo céu e da nova terra que se abrirão diante de nossos olhos na segunda vinda de Cristo”.

Dispostos a viver na fidelidade o chamado do mestre que nos envia em missão, temos no exemplo de seguimento de Maria o incentivo e o modelo de discípulos e discípulas que aprendem a assumir com coragem e alegria a tarefa de levar ao mundo o anúncio da salvação. “Entre todos os santos, a Santíssima Virgem Maria resplandece como modelo de santidade e de espiritualidade eucarística”.

Maria está de tal maneira ligada ao mistério eucarístico que mereceu que o Papa João Paulo II, justamente a chamasse “Mulher eucarística”. Na existência de Maria de Nazaré, exprime-se de forma sublime, não só a relação exclusiva entre a Mãe e o Filho de Deus que recebeu Corpo e Sangue do seu corpo e do seu sangue, “mas também a íntima relação que une a Igreja e a Eucaristia, já que a Santíssima Virgem é modelo e figura da Igreja, cuja vida e missão têm a fonte e o ápice no Corpo e Sangue do Senhor Jesus Cristo”.

O Santo Padre o Papa Bento XVI em sua Carta Encíclica Deus é Amor fala do mistério do amor de Deus que, em Maria, encontrou o espaço propício para doar aos homens e mulheres a oportunidade de viver uma nova humanidade em seu Filho Jesus.    

Como ministros e ministras não ordenados devemos ajudar as nossas comunidades a se entusiasmarem com a possibilidade de levar ao mundo o anúncio da presença de Jesus Cristo.  Queremos ajudar os nossos padres, principalmente os que estiverem em maiores dificuldades, a cumprirem bem sua missão, pois, é por seu ministério que nós temos a presença eucarística de Jesus. Vamos animá-los e entusiasmá-los no seu serviço sacerdotal.

A Exortação Pós Sinodal Verbum Domini”, publicada no último dia 11 de novembro pelo Papa Bento XVI, ao recomendar a todos os fiéis a familiaridade  com as Sagradas Escrituras, diz que nunca devemos esquecer que na base de toda a espiritualidade cristã autêntica e viva, está a Palavra de Deus anunciada, acolhida, celebrada e meditada na Igreja. Portanto, caros ministros e ministras, vamos nos empenhar no estudo dessa exortação do Santo Padre, cujo texto pode ser encontrado no Site de nossa Diocese. Ela nos orienta na vivência da Palavra. 

Somos mais de quatro mil  ministros e ministras não ordenados na Diocese de São Miguel Paulista. Se cada um de nós anunciarmos com nossa vida e com nosso entusiasmo a obra redentora de Jesus Cristo, haverá entre nós uma grande iluminação para tantos irmãos e irmãs que ainda vivem nas trevas do erro e da ignorância.

Levante a mão quem quer evangelizar.

Para que todos nos sintamos  valorizados vamos aplaudir, uns aos outros.

Vamos aplaudir  Nosso Senhor Jesus Cristo.

Vamos aplaudir a Nossa Senhora da Penha.

Que São Miguel Arcanjo nos proteja hoje e sempre e não nos deixe desanimar em nossa missão de discípulos missionários e que o Beato José de Anchieta nos abençoe e abençoe as nossas famílias.

              Louvado seja Nosso Senhor Jesus Cristo!

                                                                  Dom Manuel Parrado Carral