2011 assembleia das Igrejas

Aconteceu, em Itaicí, de 14 a 16 de outubro a 33ª assembléia das Igrejas Particulares do Regional Sul 1. Nossa Diocese se fez representar pelo Bispo Diocesano, pelo Padre coordenador do Secretariado de Pastoral e por dois leigos.

2011 assembleia das Igrejas3

O tema da assembléia, conversão pastoral e implicação na Nova Evangelização, à luz das Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil foi desenvolvido em três momentos. No primeiro momento, sexta-feira, uma análise da realidade: “tendências sócio-culturais” apresentada pelo professor e jornalista Carlos Alberto Di Franco e “Como a Igreja está respondendo aos desafios atuais” feita pelo Cardeal Dom Raymundo Damasceno Assis.

Em um segundo momento, no decorrer do dia de sábado, a assembléia refletiu o documento 94 da CNBB “Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil” com a assessoria de Dom Leonardo Ulrich Steiner, Secretário Geral da CNBB que apresentou os capítulos 1, 2 e 3 das Diretrizes.

2011 assembleia das Igrejas2

Apresentando o capítulo I que tem como títuloPartir de Jesus Cristo,Dom Leonardo destacou três expressões que dão o sentido profundo deste capítulo: 1.Partir de Jesus Cristoque significa ter um encontro pessoal com Jesus Cristo. O encontro significa o deixar-se alcançar por Jesus Cristo que se antecipa e vem ao nosso encontro. Abrir-se a Ele que está em nós. 2.Alteridadeo cristianismo é fé que se realiza na relação eu-Tu. Jesus vem ao nosso encontro. Jesus se fez o meu outro: o Tu que salvou o eu. O cristianismo é essencialmente alteridade, pois, o mistério de Deus é alteridade, Uno e Trino: a Trindade é o mistério da unidade e comunhão. 3.Gratuidadenão podemos defini-la porque não é virtude: a virtude se adquire, a gratuidade se recebe. A cruz é o ponto alto da revelação da gratuidade divina. O Crucificado entrega tudo, até não ter mais nada para si. O Crucificado é a palavra da gratuidade de Deus. Sem gratuidade, perdemos a alma do evangelho, da nossa pastoral, da nossa ação evangelizadora.

Falando sobre o capítulo II das Diretrizes, “Marcas de nosso tempo”, Dom Leonardo começa por afirmar que o tempo da cristandade já passou. Vivemos em um mundo onde cada vez mais aumenta o número daqueles que vivem como se Deus não existisse: estamos em uma mudança de época que exige uma abertura ao Deus verdadeiro e respondermos aos desafios, recomeçando a partir de Jesus Cristo. É o tempo favorável para partirmos em missão, organizarmos pequenos grupos para ler e refletir a Palavra fazendo dela o principio e fundamento de nossa vida..

Quanto ao capítulo III, “Urgências na ação evangelizadora”Dom Leonardo discorreu sobre as cinco urgências: Igreja: em estado permanente de missão, Igreja: casa da iniciação à vida cristã, Igreja: lugar de animação bíblica da vida e da pastoral, Igreja: comunidade de comunidades e Igreja a serviço da vida plena para todos.

No terceiro momento, no domingo pela manhã, após uma introdução de Dom Leonardo, os participantes da assembléia foram divididos em 15 grupos para indicarem três pistas de ação para o Regional e Dioceses.

As reflexões e exposições foram intercaladas com momentos de oração, destacando as celebrações Eucarísticas, ponto alto da assembléia, e o momento mariano.