Imprimir

“O povo que andava nas trevas viu uma grande luz” (Is 9,1)

presépio

Meus irmãos e minhas irmãs, durante o tempo do Advento, que é memória, presença e espera vigilante, a Palavra de Deus nos foi conduzindo a descobrir quem é “Aquele que devia vir”: é Jesus Cristo, o Filho de Deus, é o Salvador, é aquele que na Encarnação se tornou o Emanuel “o Deus conosco”.

Nesta noite luminosa contemplamos alegres e agradecidos o grande mistério do Deus feito homem. O Salvador do mundo veio participar da nossa natureza humana, já não estamos abandonados. A Virgem Maria oferece-nos o seu Filho como princípio de vida nova. Jesus é a Luz do mundo, quem O segue não anda nas trevas. A verdadeira Luz vem iluminar a nossa existência, muitas vezes encerrada na sombra do pecado e da mentira. O nosso país está envolto nas trevas da corrupção. O povo já está sem esperança.

“O povo que andava nas trevas viu uma grande luz”! Nesta noite venturosa deve cessar todo medo, toda angústia porque a luz brilhou nas trevas indicando o caminho para Belém: “Lá encontrareis um menino envolvido em faixas e deitado em uma manjedoura” – Pobre entre os pobres. É este o caminho para chegar a Belém, para encontrar Jesus: estar com os pobres. Para que a luz se manifeste entre nós é necessária uma mudança de vida.

Não nos é permitido ficar parados. O Papa Francisco nos pede para sermos uma “Igreja em Saída”. Vamos a Belém! Vamos ao encontro de Jesus envolto em faixas na pessoa de nossos irmãos sofridos, abandonados, sem esperança. “Glória a Deus no mais alto dos céus, e paz aos homens por Ele amados”. É essa alegria, essa paz que devemos anunciar a todos que nos rodeiam.

Deixo aqui meus cumprimentos a todos os diocesanos e diocesanas, com os votos de Santo e festivo Natal e que 2018 seja um Ano Novo iluminado, cheio de graças e de realizações a serviço de Jesus Cristo e dos irmãos, especialmente dos mais pobres e sofridos.

 

Dom Manuel Parrado Carral
Bispo Diocesano