Imprimir

49º Dia Mundial das Comunicações Sociais

“Comunicar a família: ambiente privilegiado do encontro na gratuidade do amor”.

O Dia Mundial das Comunicações Sociais é a única celebração que foi instituída na Igreja pelo Concílio Ecumênico Vaticano II no Decreto “Inter Mirifica”: “Para que se revigore o apostolado da Igreja em relação com os meios de comunicação social, deve celebrar-se em cada ano em todas as dioceses do mundo...” determina o decreto acima citado, no número 18. É importante relembrar a origem histórica desta celebração, que se faz na solenidade da Ascensão do Senhor, relacionada com o mandato de Jesus antes de voltar para o Pai: Ide pelo mundo e pregai o Evangelho a toda a criatura. É uma celebração que deve nos despertar para o sentido missionário evangelizador que deve caracterizar os meios de comunicação social presentes na Igreja.

Tornou-se costume que, a cada ano, o Papa envie uma mensagem por essa ocasião para ajudar os fiéis a refletirem sobre a importância das comunicações sociais como meios de difundir a paz e a solidariedade entre os povos. Neste ano, o Dia Mundial das Comunicações Sociais será celebrado no dia 17 de maio e a mensagem do Papa Francisco tem como tema: “Comunicar a família: ambiente privilegiado do encontro na gratuidade do amor”.

O Papa Francisco ao apresentar o tema discorre sobre as razões dessa escolha: 1. O tema da família encontra-se no centro de uma profunda reflexão eclesial. Neste contexto, o Papa considerou oportuno que o tema do Dia Mundial das Comunicações Sociais tivesse como ponto de referência a família.; 2. Diz o Papa: a família é o primeiro lugar onde aprendemos a comunicar. Voltar a este momento originário pode nos ajudar quer a tornar mais autêntica e humana a comunicação, quer a ver a família de um novo ponto de vista.

Inspirado pela passagem do evangelho que narra a visita de Maria à sua prima Isabel, Francisco faz uma bela reflexão sobre a comunicação que nasce no ventre que nos abriga e que é a primeira escola de comunicação, feita de escuta e contato corporal, onde começamos a familiarizar-nos com o mundo exterior num ambiente protegido e ao som tranquilizador do pulsar do coração da mãe.

A família é o lugar que nos torna capazes de abraçar, apoiar, acompanhar, decifrar olhares e silêncios, rir e chorar juntos, entre pessoas que não se escolheram e, todavia, são tão importantes umas para as outras. Os mais modernos meios de comunicação são irrenunciáveis, sobretudo para os mais jovens, e eles tanto podem dificultar como ajudar a comunicação em família e entre as famílias.

A comunicação se aprende na relação e a família sendo a comunidade de amor onde cada pessoa aprende a relacionar-se com os outros e com o mundo ela se constitui na melhor escola de comunicação. Para fazer da família esta comunidade amorosa o Papa Francisco indica três meios: Oração – foi no seio da família que aprendemos a dimensão religiosa da comunicação, falar com Deus de nossas angústias, sofrimentos e alegrias e fazer silêncio para escutar Deus que nos fala; o perdão – não há família perfeita. Precisamos ter coragem para enfrentar nossas fragilidades e na família encontrarmos o ambiente para o diálogo, para o perdão que é uma dinâmica de comunicação.
A criança que aprende na família a escutar o outro, a perdoar e a ser perdoada, será no futuro uma construtora de diálogo e reconciliação na sociedade; bênção – abençoar no lugar de maldizer é o melhor meio que a família dispõe para educar e formar os filhos na fraternidade e no amor aos semelhantes.

Convido a todos a lerem na íntegra esta bela mensagem do Papa Francisco acessando o site da Diocese: www.diocesesaomiguel.org.br.

D. Manuel Parrado Carral