Imprimir

“A vida espiritual  que José nos mostra, não é um caminho que explica, mas um caminho que acolhe”, escreve o Papa na Patris Corde.

ANO.SÃOJOSÉ

Em 8 de dezembro de 2020, Solenidade da Imaculada Conceição, na comemoração do 150º ano da promulgação do decreto da Sagrada Congregação dos Ritos, intitulado “Quaemadmodum Deus”, ‘ Da mesma maneira que Deus’, com o qual o Beato Pio IX, em 1870, declarou São José, padroeiro da Igreja Católica, o Papa Francisco pela Carta Apostólica  “Patris Corde” – Coração de Pai, convocou toda a Igreja Católica a celebrar um ano de louvor a Deus por São José a quem o Senhor escolheu para ser, aqui na terra, o guarda e protetor de Seu Amado Filho, Jesus,  e da Virgem Maria.

Durante o Ano de São José, que se prolonga até 8 de dezembro de 2021, o Papa Francisco estabeleceu que os fiéis possam  lucrar  indulgência plenária. Em virtude disto,  “o decreto da Penitenciaria Apostólica especifica a forma como o dom da indulgência plenária é concedido aos fiéis por ocasião do Ano de São José: “além das condições habituais previstas pela Igreja – confissão sacramental, comunhão eucarística e a oração segundo as intenções do Santo Padre – pratiquem cinco atos particulares de piedade ou obras de caridade ligadas ao modelo representado pelo pai adotivo de Jesus”.

“As obras indulgenciais consistem em abrir-se à vontade de Deus, em tomar tempo para a meditação pessoal ou para participar de um retiro espiritual, seguindo o exemplo de José, sempre pronto a aceitar a vontade de Deus; em fazer-se instrumento de justiça e misericórdia do Pai através da realização de obras de misericórdia corporais e espirituais, como José, o ‘homem justo’ (Mateus 1,19); na renovação da comunhão com Deus dentro da própria família e entre os noivos, através da recitação do Santo Terço; na santificação do próprio trabalho confiando-o à intercessão de São José ou rezar por aqueles que são privados de uma ocupação digna; na intercessão pelos cristãos que sofrem formas de perseguição através da oração das ladainhas a São José ou outras fórmulas de oração próprias dos ritos das Igrejas Orientais”.

Além disso, no texto do decreto é feita menção especial “àqueles que, devido às conseqüências do contágio pelo Covid-19, estão impossibilitados de preencher as condições para receber indulgência (os idosos, os doentes, os moribundos). Confiando na intercessão de São José, no conforto dos doentes e do santo padroeiro da boa morte, a indulgência se estende a todos eles se, com espírito desapegado de qualquer pecado e com a intenção de cumprir as condições o mais rápido possível, recitarem um ato de misericórdia em honra do Santo”.

Em nossa Diocese temos 10 Paróquias dedicadas a São José: São José Operário, no Conj. J. Bonifácio; São José, no Jardim Brasília; São José, no Jardim Camargo Velho; São José Operário, em Vila Itaim; São José, em Jardim Matarazzo; São José, em Vila Buenos Aires; São José, em Cidade Tiradentes; São José, no Parque Guarani; São José, no Jardim Lajeado; São José Patriarca, na Vila Nova Curuçá, além de mais 11 comunidades.

Exortamos a todos os fiéis a lerem a Carta Apostólica do Papa Francisco, Coração de Pai – “Patris Corde”, para melhor conhecer a vida e virtudes deste grande Santo e assim crescer na devoção a ele pela imitação de suas virtudes. Clique aqui para acessar o texto na íntegra.

Dom Manuel Parrado Carral
Bispo Diocesano de São Miguel Paulista