2012_diconos_permanentes2No dia 1º de fevereiro, em celebração eucarística presidida por Dom Manuel Parrado Carral e concelebrada por Dom Fernando Legal e Pe. Vicente Frisullo, diretor da Escola Diaconal, na Catedral de São Miguel Arcanjo,  rendemos graças a Deus pelos cinco anos de ordenação dos primeiros diáconos permanentes em nossa Diocese: Carlos Alberto Said, Gilson Gomes da Silva, Paulo Roberto de Almeida Ferreira e Rogério Arcanjo de Matos.

Em sua homilia, o bispo diocesano, realçou a pessoa do diácono permanente em sua vocação simultânea de pai e esposo, pelo sacramento do matrimônio, exercendo uma profissão civil e se consagrando à comunidade eclesial pelo sacramento da ordem. A vocação do diácono permanente abrange três grandes dimensões: familiar, profissional e eclesial. Com desafios próprios estas três dimensões não deixam de contribuir, positivamente, para a realização da vocação.

Lembrou, ainda, que administrar estes desafios e colocá-los a serviço da missão constitui uma tarefa diária. É preciso maturidade para atribuir a cada dimensão o peso certo no momento exato. A harmonização dos possíveis conflitos exige uma escala de valores ditada pela vivência dos sacramentos do matrimônio e da ordem e pela responsabilidade profissional. Não se trata de privilegiar uma das dimensões em detrimento das outras; é preciso, mesmo dando prioridade momentânea a uma delas, buscar o equilíbrio. Finalizou dizendo que, sem essa harmonia não existe plena realização vocacional para o diácono permanente.