“Unindo-se a Cristo, o povo da nova aliança não se fecha em si
mesmo; pelo contrário, torna-se ‘sacramento’ para a humanidade,
sinal e instrumento da salvação realizada por Cristo, luz do mundo
e sal da terra para a redenção de todos”
. (EE 22)

Com o tema Eucaristia, Pão da Unidade dos Discípulos Missionários e com o lema Fica conosco, Senhor! (Lc 24,29), se realiza em Brasília de 13 a 16 de maio de 2010 o XVI Congresso Eucarístico Nacional.

A celebração de “um Congresso Eucarístico quer ser a convergência de todas as pessoas que professam a fé católica na realidade da Santíssima Eucaristia, e que desejam dar um testemunho público de sua fé na presença real do Senhor Jesus, animando, consolando e convertendo os fiéis”. Maior tesouro da Igreja, presença de Cristo no meio do povo, a Eucaristia é o alimento da caminhada que fazemos na história buscando criar condições para que, na justiça e na paz, surjam um novo céu e uma nova terra.

A Igreja vive da Eucaristia. Fonte e centro de toda a vida cristã, ela nos dá a força necessária para, por meio do Espírito que o Cristo nos comunica, levar a todos o anúncio da salvação e a proposta da construção do reino de Deus. O Mistério Pascal de Jesus Cristo, na sua paixão, morte, ressurreição e ascensão ao céu, celebrado e vivido na Eucaristia, estimula e ativa a esperança de que podemos construir um mundo que esteja de acordo com a vontade de Deus.

Ao escolhermos prioridades para nossa ação pastoral, nos responsabilizamos por dar testemunho da nossa comunhão como comunidade que reconhece na celebração litúrgica toda a riqueza da Páscoa do Senhor, pois, se alimenta da presença de Cristo para ter força de edificar a Igreja. A Eucaristia gera a verdadeira comunhão daqueles que, de coração sincero e motivados pela ação do Espírito Santo, participam e mergulham na plenitude do mistério da salvação.

Quando nos esforçamos para viver na unidade e procuramos ter ações comuns de serviço ao povo de Deus, criamos as condições básicas da atuação libertadora que Jesus Cristo nos propõe em sua prática redentora. Somos assim convocados a sermos construtores de um mundo novo onde a santificação das pessoas se dá na luta pela justiça e pela paz.

A família, uma das nossas prioridades pastorais, tem mais condições de dar vida digna para os seus membros quando alimentada pelo espírito de comunhão que não só está simbolizado na Eucaristia, mas que se torna presente naquelas famílias que unidas participam da missa dominical em sua comunidade. O testemunho da família unida na fé, estimula os vizinhos, os parentes e os amigos a se tornarem também participantes.

A missão, como outra prioridade, só pode ser incentivada quando reconhecemos que a missão da Igreja é evangelizar. Como a Igreja vive da Eucaristia, é alimentada por ela que o povo Deus adquire força e condição de viver integralmente a missão no mundo.

A formação, nossa terceira prioridade, passa pela Eucaristia enquanto escola de amor e comunhão e nos dá o Espírito do Ressuscitado, o bom mestre que ensina aos discípulos e discípulas o caminho da comunhão e da unidade.

Dom Manuel Parrado Carral