Ano Jubilar

Diocese São Miguel Ano JubilarA diocese de São Miguel Paulista estará celebrando seu Jubileu de Prata em 2014. Foi criada pelo Papa Beato João Paulo II, com a Bula “Constat Metropolitanam Ecclesiam”, de 15 de março de 1989, com território desmembrado integralmente da Arquidiocese de São Paulo. A instalação da Diocese e posse de seu primeiro bispo diocesano, Dom Fernando Legal, aconteceram no dia 28 de maio de 1989. A Diocese foi pastoreada pelo primeiro Bispo Diocesano até o dia 02 de março de 2008 quando tomou posse o segundo bispo Dom Manuel Parrado Carral.

A celebração do jubileu é tradição judaica, onde a cada sete anos era celebrado o ano sabático, no qual se deviam perdoar todas as dívidas. E a cada 50 anos se celebrava o Jubileu: “Santificareis o qüinquagésimo ano proclamando na vossa terra a liberdade de todos os que a habitam. Este ano será para vós jubileu: cada um de vós voltará à sua propriedade e à sua família” (Lv 25,10). Portanto, o jubileu era um tempo de construir a paz e a reconciliação, um tempo de festa e de perdão. Um tempo de graça divina.

No Novo testamento, o evangelista São Lucas narra uma passagem de Jesus na Sinagoga de Nazaré, em dia de sábado, quando proclama um texto do livro do profeta Isaias: “O Espírito do Senhor está sobre mim, porque ele me consagrou com a unção para anunciar a boa nova aos pobres, enviou-me para proclamar a libertação aos cativos e aos cegos a recuperação da vista, para libertar os oprimidos e para proclamar um Ano da Graça do Senhor” (Lc 4,18-19).

O primeiro jubileu da História da Igreja foi instituído pelo Papa Bonifácio VIII, em 22 de fevereiro de 1300, com a bula Antiquorum fide relatio, motivando a peregrinação aos túmulos dos apóstolos Pedro e Paulo, em Roma. A partir de 1475, com o Papa Sisto IV, o jubileu passou a ter a periodicidade de 25 anos.

Estabelecendo este Ano Jubilar em preparação à celebração dos 25 anos da criação da Diocese de São Miguel Paulista queremos reafirmar nossa identidade de Igreja Particular que tem o compromisso de estar presente junto ao povo para anunciar a Boa Nova do Reino de Deus e o Ano da Graça do Senhor, nesta região em que desde o nascimento da cidade de São Paulo está presente pelas pegadas do Beato José de Anchieta.

Com as bênçãos de Nossa Senhora da Penha e a proteção de São Miguel Arcanjo vamos fazer deste Ano Jubilar um tempo de graça, de paz e de reconciliação. Um tempo em que somos convidados a assumir com coragem nossa conversão pessoal e pastoral para anunciar a todos, com novo ardor missionário, a Boa Nova de Jesus Cristo.

Dom Manuel Parrado Carral